27 de fevereiro de 2013

O que é uma zoonose?

O significado etimológico da palavra zoonose é “doença animal”, porém, a definição estabelecida pela OMS – Organização Mundial da Saúde é muito mais abrangente, classificando as zoonoses como “Doenças ou infecções naturalmente transmissíveis entre animais vertebrados e seres humanos”.

As zoonoses podem ser classificadas de acordo com o sentido da transmissão, conforme segue:

- Antropozoonoses: Quando o agente patogênico é perpetuado pela transmissão entre animais vertebrados, mas que eventualmente pode ser transmitido a seres humanos.

- Zooanthroponoses: Quando o agente patogênico é perpetuado pela transmissão entre seres humanos, mas que eventualmente pode ser transmitido a animais vertebrados.

- Amphixenosis: Quando a perpetuação e a transmissão dos agentes patogênicos ocorrem em igual intensidade entre animais vertebrados, entre seres humanos e entre animais vertebrados e seres humanos.

 

Quais são as zoonoses mais importantes no Brasil?

Dentre as zoonoses que ocorrem no Brasil, a dengue é a mais preocupante devido as recentes epidemias registradas nos últimos anos. O vírus da dengue tem como hospedeiros o homem e os primatas, sendo que a transmissão do vírus entre os hospedeiros (infectado e susceptível) se dá através de um vetor, o mosquito Aedes aegypti.

Clinicamente a dengue pode se manifestar de quatro formas:

- Infecção inaparente: Mesmo infectado pelo vírus, a pessoa não apresenta os sintomas clássicos da dengue.

- Dengue clássica: Febre alta, dor de cabeça intensa, fadiga, dor muscular, dor nas articulações, enjoos, vômito, diarreia e dor abdominal. Geralmente a doença tem evolução rápida e benigna.

- Dengue hemorrágica: Os sintomas iniciais da dengue hemorrágica são muito parecidos com os sintomas da dengue clássica, porém em 3 ou 4 dias evolui para quadros mais graves, ocorrendo dificuldade respiratória, vomito intenso, queda da pressão arterial, fortes dores abdominais e hemorragia (mucosas e órgãos internos). Pode ocasionar a morte da pessoa infectada.

- Síndrome do choque da dengue: Em alguns casos o quadro clínico de pessoas com dengue hemorrágica pode se agravar, acentuando alguns sintomas como dor abdominal forte e persistente, vômito incoercível, taquicardia, hipotenção e pele fria e úmida. O choque é caracterizado pela insuficiência circulatória, e é potencialmente letal.

A leptospirose também representa grande risco à saúde publica, principalmente em épocas chuvosas, quando a ocorrência de enchentes favorece o contato dos seres humanos com o agente patogênico (uma bactéria do gênero Leptospira), aumentando a incidência da doença. A leptospirose pode ser transmitida através da urina de animais infectados com a bactéria (roedores, caninos, suínos, bovinos, entre outras), sendo que os ratos representam a maior fonte de contaminação.

Os sintomas da leptospirose são febre alta, mal-estar, dores musculares (principalmente nas panturrilhas), dor de cabeça, dor no tórax, olhos vermelhos, tosse, cansaço, náuseas, diarreia, desidratação, calafrios, manchas vermelhas no corpo e meningite. Geralmente a evolução da doença é benigna e os sintomas regridem após três ou quatro dias. Entretanto, na sua forma mais grave, o quadro clínico da pessoa infectada pode se agravar, ocorrendo hemorragias, complicações hepáticas, renais e vasculares, podendo evoluir para óbito.

Como ocorre a transmissão de zoonoses?          

A transmissão de zoonoses pode ocorrer pelas seguintes vias:

- Transmissão direta: O hospedeiro vertebrado infectado transmite o agente patogênico para outro hospedeiro vertebrado susceptível, através de contato direto entre os hospedeiros.

- Transmissão indireta: Quando não existe contato direto entre os hospedeiros (infectado e susceptível). A transmissão indireta pode ocorrer pelas seguintes vias:

- Alimentos infectados: Quando o hospedeiro susceptível ingere alimentos infectados pelo agente patogênico.

- Secreções, sangue e excrementos: Quando o hospedeiro susceptível entra em contato com secreções, sangue ou excrementos do hospedeiro infectado.

- Vetores artrópodes: Quando um animal artrópode atua como vetor do agente patogênico, transmitindo-o do hospedeiro infectado para o hospedeiro susceptível.

 

Quais são os principais vetores de zoonoses?

Os insetos e carrapatos hematófagos são os principais vetores de zoonoses, pois, quando infectados, podem transmitir o agente patogênico ao se alimentarem.

Entre os principais vetores artrópodes destacam-se os mosquitos hematófagos, principalmente o Aedes aegypti (vetor da dengue e da febre amarela), as pulgas (vetores da peste bubônica, salmonelose, entre outras) e os carrapatos (vetores da febre maculosa, doença de Lyme, entre outras).

 

Como evitar as zoonoses?

          Seguem algumas dicas para evitar as zoonoses:

- Para quem tem animais de estimação, é importante leva-los ao veterinário regularmente para avaliação, além de manter a vacinação e a desverminação em dia;

- Evite o acesso dos animais de estimação a camas, sofás, tapetes etc;

- Recolha as fezes do animal, evitando sua exposição a moscas e ao contato humano;

- Evite o contato com animais doentes, principalmente com suas secreções e excrementos (sangue, saliva, muco, pus, urina, fezes, etc.);

- Mantenha o ambiente onde o animal vive sempre limpo e livre de parasitas (pulgas, carrapatos, etc.);

- Controlar a população de vetores em potencial (pulgas, mosquitos, moscas, carrapatos, etc.);

- Não consuma alimentos de origem animal (carne, embutidos, queijos, etc.) sem inspeção;

- Lave bem as frutas e hortaliças antes de consumi-las;

- Lave bem as mãos após contato com animais e antes das refeições;

- Investimentos em saneamento básico e educação ambiental;

- Controle da população de animais abandonados.